sexta-feira, 27 de Março de 2009

Recessão técnica: o que é?

Tem-se falado muito, por força da situação das economias, de recessão técnica. Nesta altura, como muitos outros países, Portugal está nessa situação. O que é, então, a recessão técnica?

A recessão técnica ocorre quando se verifica uma redução da produção, em termos reais (ou seja, em volume, em quantidades produzidas), durante dois trimestres consecutivos (a taxa de variação percentual da produção real regista, nesses dois trimestres, valores negativos).

Como se mede a produção? E o que significa produção real?

O valor da produção realizada no território económico de um país num determinado período é dado pelo PIB (Produto Interno Bruto), que se obtém, basicamente, pela multiplicação das quantidades produzidas de bens e serviços pelos correspondentes preços de mercado. Se os preços usados no cálculo forem os preços correntes do período a que a produção respeita, temos um PIB a preços correntes. No entanto, se o que se pretende é avaliar como as quantidades produzidas (ou seja, em volume) evoluem no tempo, este indicador é pouco interessante, pois o seu valor varia em função das alterações nas quantidades e nos preços.
Daí que um indicador mais correcto da variação da produção em volume seja o PIB real (ou a preços constantes), que resulta da valorização da produção de cada período aos preços constantes de um ano considerado base (actualmente em Portugal o ano base é 2000). Neste caso, como os preços usados no cálculo para os diversos períodos são os mesmos, então o único factor para a variação do PIB é a variação em volume (ou seja, das quantidades).

Como se calcula a taxa de variação percentual do produto real num período?

Matematicamente obtém-se pela divisão da variação no PIB real (valor do período - valor do período anterior) pelo valor do PIB no período anterior, multiplicando-se depois por 100 (para se obter valor percentual).
Para Portugal, segundo o Instituto Nacional de Estatística, INE, no 4º trimestre de 2008 o valor daquele indicador foi de -1,6%, significando que a produção nesse trimestre (32.583,9 milhões de euros) caiu, em termos reais, 1,6% relativamente ao 3º trimestre (33.106,1 milhões de euros). No 3º trimestre a produção havia caído 0,2% (relativamente ao 2º trimestre). Daí a recessão técnica.
Se em vez de produções trimestrais se compararem produções anuais, obtém-se a taxa de variação anual da produção real. Em Portugal, em 2008, essa taxa foi de 0%, significando que a economia não cresceu, relativamente a 2007.

Sem comentários: