terça-feira, 3 de março de 2009

Clareza no pensamento

Em 1933, o economista Keynes escrevia em resposta à crise em que o mundo se encontrava mergulhado: “Se a nossa pobreza fosse devida a um tremor de terra, à fome ou à guerra, se tivéssemos falta de bens materiais ou de recursos para os produzir, apenas poderíamos encontrar o caminho para a prosperidade no trabalho duro, na abstinência e na invenção. Na realidade, o nosso problema é outro. Surge de alguma falha nos mecanismos não tangíveis da mente (...). Nada (...) nos valerá, excepto um pouco de clareza no pensamento”. Keynes referia-se à importância de uma falha quanto às expectativas criadas em torno da economia. Para a combater, apelava à “clareza no pensamento”.

Sabemos que a crise de hoje foi precedida por outras, do petróleo, dos bens alimentares e, particularmente, do sistema financeiro. Tudo isto terá toldado as nossas expectativas e tornámo-nos pessimistas. Deixámos de consumir, com receio do amanhã, em consequência baixaram o investimento e a produção e o desemprego disparou. Se é certo que muito terá de ser feito no sentido de corrigir os erros, em especial no sistema financeiro mundial, a verdade é que precisamos urgentemente de “clareza no pensamento”. Para o efeito, um grupo de docentes do Departamento de Gestão da Escola Superior de Tecnologia de Viseu propõe-se contribuir regularmente com pequenos artigos, já publicados nos jornais que são nossos parceiros nesta iniciativa, para que uma maior clareza do pensamento possa guiar a nossa acção. Esta colaboração inicia-se hoje com um artigo sobre fiscalidade. Outros se seguirão sobre economia, empreendedorismo, finanças, turismo, etc. Para além desta intervenção, está prevista ainda a colaboração com as rádios regionais, em moldes que brevemente serão anunciados.

A edição deste blogue, "Clareza no Pensamento", pretende ser uma acção complementar, naturalmente menos limitada, provavelmente mais irregular mas, espera-se, mais viva. Não se trata de um espaço de intervenção política, em sentido restrito, mas tão só de afirmação de um direito e de um dever de cidadania. Acima de tudo, pretendemos ser afirmativos e, se possível, úteis (mesmo no sentido de utilitário). Mais do que fazermos avaliações do passado e do presente, pretendemos colocar os olhos - e os posts! - no futuro.

Clareza no Pensamento

3 comentários:

Bazookas disse...

Aplaudo a ideia e desejo o maior sucesso no projecto. Viseu precisa dessa massa critica!

Anónimo disse...

Aplaudo esta iniciativa, julgo ser uma excelente forma de pôr ao alcance de todos a experiência e conhecimento de todos os contribuidores deste blog, contribuidores estes que tive o privilégio de ter como professores. É nestas pequenas coisas que somos empreendedores. Os meus parabéns.

António Carlos

Cheila de Jesus Adelino disse...

Quero, desde já, felicitar os intervenientes do blog pela iniciativa e pela relevância das contribuições. Os artigos são muito interessantes e penso que este blog dava um óptimo ponto de referência para um programa de debates. Os assuntos são actuais, causam opiniões diferentes, suscitam soluções interessantes que bem exploradas podiam ser parte da solução para muitas problemáticas aqui tratadas.

Parabéns mais uma vez e espero que os meus colegas também visitem frequentemente o blog e aproveitem esta oportunidade de enriquecimento e de troca de ideias!

Cumprimentos